Todo emprego tem problema

Fato! Emprego perfeito não existe, o que existem são bons ou maus empregos. Mas o fato é que por melhor que seja o nosso emprego tanto em relação ao ambiente quanto em relação as condições, problemas existem.

Dessa forma em nosso processo contínuo de evoluirmos como bons profissionais devemos aprender a nos adaptar às adversidades impostas em nossos trabalhos ou relacionamentos profissionais. Olhando primeiro os problemas relacionados as condições de trabalho, há dois tipos que como empregados devemos pensar bastante até que ponto vale ficar no emprego, são os que englobam saúde e segurança. Não quero dizer que as pessoas não devem exercer empregos que podem oferecer esses riscos, mas sim que estas situações não são de riscos, mas já instaladas, por exemplo, um restaurante que oferece churrasco e não tem uma boa coifa para tirar a fumaça da churrasqueira da cozinha, nesse ambiente com fumaça de carvão que faz muito mal trabalha um asmático. Isso é uma situação de insalubridade instalada, como empregado vale a pena correr esse risco? Acredito que não. Se no mesmo restaurante tudo funciona perfeitamente, isso acontecer é um risco eventual não se encaixa no que estou dizendo.

Já em relação a segurança é a mesma coisa, existem situações que põe o empregado em risco, como em uma obra em que um funcionário sobe em um andaime sem o EPI necessário, caindo pode morrer, nesse caso vale o risco? Também acredito que não, ninguém está livre de acidentes estando protegido, mas todos buscam o acidente quando cometem imprudências, ou as aceitam e acredito que nossas vidas valem mais que o salário.

Os problemas podem ter origem interna ou externa. Os internos são os que vem de dentro da empresa, por sistemas, procedimentos, equipamentos, ou colegas, já os externos são causados por clientes, fornecedores, credores, opinião pública e concorrência. Essas influências atingem dos cargos mais altos de uma empresa aos mais simples. Porque quando algo afeta a instituição a ponto de ter que alterar algo na cultura ou estrutura, todos são afetados e isto em um primeiro momento pode ser visto como um problema.

E há os problemas que nos afetam primeiro individualmente, mas que podem tomar proporções que atingem toda a equipe de um ou mais setores, sendo necessário o envolvimento até de chefias para resolver a situação desses problemas interpessoais. Várias razões levam as pessoas a não se darem bem no trabalho, nenhum de nós está livre de ser uma dessas pessoas e digo mais, nenhum de nós está livre de ser a causa desses conflitos, o ser humano é um ser complexo que nem sempre sabe lidar bem com suas emoções especialmente se estiver sob pressão. Dessa forma precisamos buscar manter boas relações no trabalho com todos na medida do possível. Boas relações que digo, não é sair rindo para todos, mas não sair encrencando com todos, temos de ter o chamado “jogo de cintura”, saber onde abrir mão ou não, sem deixar de lado nossos valores ou fazer coisas erradas.

Contudo existem situações de conflito que fogem do nosso controle, como o assédio moral por parte de chefia que já comentei no texto “O trabalho que dignifica”, cobrança excessiva de resultados além da capacidade possível de serem alcançados, falta de ética que é manifestada de várias formas como fofocas, ou mentiras contadas entre colegas de trabalho, enfim essas situações podem gerar conflitos que saem de controle e afetam toda uma equipe, gerando mal estar e divisão, isso quando não acabam em demissões. Discordar de colegas no ambiente de trabalho é normal e ajuda a desenvolver as práticas profissionais, mas brigar não.

Hoje o que gostaria de te levar a refletir caro leitor são duas situações é que não importa aonde você esteja emprego perfeito não existe, sempre existirão problemas, contudo problemas tem limites e você deve saber a hora de colocar um ponto final quando passarem dos seus. E segundo, que nós não sejamos o infortúnio na vida de ninguém, podemos nos considerar pessoas difíceis de se relacionar o que não nos dá o direito de criar problemas no trabalho e nem na vida com quem quer que seja. Nunca confunda luta por direitos e fazer o certo com ser intolerante e problemático, existem pessoas que tem opiniões melhores que as nossas e às vezes elas sãos mais jovens ou mais velhas, o que não quer dizer que não saibam, mas que na verdade tiveram oportunidades que nós não tivemos, por isso antes de falar precisamos aprender a ouvir. Para fechar, antes de criar um conflito sempre se lembre que bons ouvintes falam menos e quando falam é com sabedoria.

Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error

Gostou do nosso blog? Compartilhe com seus amigos! :D