Em tempos de crise economizar ou se capacitar?

A resposta óbvia é que depende, e de fato há um conjunto de coisas que podem impedir a capacitação. Porém se há uma possibilidade mesmo que mínima para se capacitar, devemos aproveitá-la, gostaria de na reflexão de hoje apontar algumas razões.

Antes de começarmos é importante sinalizar que condições financeiras, familiares e de tempo devem ser levadas muito em consideração antes de se aventurar em um processo de capacitação, seja ele qual for. E em tempos de crise é natural que o movimento seja o de cautela, o que é correto, deve-se analisar o que está acontecendo para saber o que se vai fazer. Só que existem crises e crises, a que estamos vivendo é uma crise sanitária que acertou em cheio a economia e a vida das famílias, muitas perderem um membro querido, outras suas fontes de sustento como trabalhos e negócios e outras famílias ainda perderam os dois perdendo seus familiares provedores na pandemia.

Estamos vivendo um período muito difícil em termos sanitários, emocionais e econômicos, para sairmos dessa não vai ser só a vacina ou a assistência do governo que resolverão, mas também o arregaçar de manga de cada um de nós, aqueles que estão empregados ou que são empresários com a generosidade de ajudar de alguma forma, e aqueles que não estão trabalhando não se imobilizando diante desta grande dificuldade.

Quando questiono no título do texto se tempos de crise são tempos de economizar ou de se capacitar, digo sinceramente que deve ser um tempo de capacitação, especialmente para quem está à procura de recolocação no mercado, afirmo isso como já disse anteriormente por algumas razões. Acredito que a capacitação deve ser um processo contínuo na vida de um profissional, independente se já chegou ou não no ápice de sua carreira, afinal conhecimento não ocupa espaço e cria pontes, para quem precisa se recolocar no mercado isso se torna fator indiscutível, atualizações ou aprimoramentos são importantes não apenas para “encher” o currículo, mas para fazer com esse profissional que busca recolocação volte a atender as necessidades do mercado no momento que busca um novo emprego.

Mas como fazer isso se está sem dinheiro? Para se manter em constante capacitação é importante ter planejamento e aproveitar o tempo que se está na ativa para investir em cursos mais caros ou mais longos, se não tem a graduação, pós, mestrado, doutorado e precisa de um deles é o momento (a não ser que seja um curso que exija dedicação exclusiva, aí é outra história), ou se não é o caso, pode ser a hora de investir em bons cursos que muitas vezes são pagos e até caros, mas que de maneira planejada podem ser realizados. A outra forma é quando não se está na ativa e não tem reserva financeira é buscar cursos gratuitos, mesmo que não sejam tão interessantes para o seu currículo, com certeza ajudarão a manter a sua mente afiada para a sua área profissional e podem te agregar coisas novas. Alguém que não tem dinheiro e quer estudar também tem que deixar a vergonha de lado, esquecer os títulos que tem e arrumar o emprego que é possível para voltar a se capacitar e se recolocar no mercado dentro da sua área, – eu sei, eu sei é polêmico o que estou falando -, mas lembre-se do que estamos falando de um profissional sem dinheiro para investir na própria carreira tentando se recolocar no mercado, não em abandonar a carreira ou pegar qualquer coisa e desistir da sua profissão, não é isso, talvez para muitos vai ser reviver aquela história de trabalhar e estudar. Acredite as coisas não vem de mão beijadas e oportunidades não surgem ao acaso, precisamos estar no lugar certo e na hora certa para pegá-las e só conseguiremos se estivermos envolvidos em nosso meio, se não for através do trabalho que seja pelos contatos dos nossos cursos.

Economizar é importante e ter uma reserva para tempos de crise essencial, por isso se hoje você está na ativa e não tem bom controle financeiro do seu dinheiro procure corrigir isso o quanto antes, eliminar despesas especialmente as desnecessárias e depois com esse dinheiro outras que foram surgindo. Ter um celular novo, o carro do ano e viajar são coisas maravilhosas, mas estar precavido para tempos de crise é essencial e estar capacitado para sair deles o quanto antes no caso do desemprego é imprescindível. E lembre-se muitas vezes para se sair de uma crise é necessário investimento, este pode ser na própria empresa ou em você, seno assim aprenda bem a gastar seu dinheiro com o que importa, para poder gastá-lo com o que gosta e para que ele não falte nos tempos de crise.

Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error

Gostou do nosso blog? Compartilhe com seus amigos! :D