Consumir ou formar opinião?

Em um mundo repleto de influenciadores que tem formado a opinião de muita gente, o ideal é ficar apenas na escuta, ou também começar a utilizar os nossos conhecimentos e valores para emitir opiniões para os outros?

Acredito que o ideal está em mesclar as duas coisas, mas primeiro começando pelo consumo de opinião, devemos ouvir bastante, porém ouvir de quem? Te todos os lados possíveis que tratam do mesmo assunto, mesmo que as opiniões emitidas sejam divergentes das nossas ou de nossos valores, dessa forma conhecendo o que cada um pensa será possível formar o melhor juízo sobre determinados assuntos. Ouvir apenas aquilo que nos agrada, que só concorda conosco não nos ajuda a formar opinião, mas nos torna cegos no meio de um tiroteio. Além disso é importante fazer nossas pesquisas sobre o assunto, se é algo que realmente nos interessa a ponto de nós acreditarmos que vale discuti-lo. Por exemplo a atual tensão do meio ambiente no Brasil, o governo diz que preserva, os ambientalistas dizem que devasta, mas o que dizem os dados dos centros de controle e pesquisa? Quer tentar chegar perto de entender o que de fato da acontecendo? Ouça muito o que o governo tem a dizer, ouça muito o que os ambientalistas tem a dizer, depois pesquise para tirar as arestas de exagero dos dois lados. Tudo isso porque infelizmente atualmente faltam fontes seguras, não dá para acreditar em tudo o que as fontes oficiais e muitos veículos de imprensa dizem, o que não quer dizer que não devemos coletar suas informações, digo que não só temos de coletar como analisar para fazer um juízo de quem é a fonte mais segura e confiável.

Contudo saber formar opinião também é fundamental, não podemos ser meros repetidores do que ouvimos, essa filtragem das opiniões recebidas e dos temas analisados deve produzir uma opinião que pode tender para um dos lados, ou até mesmo gerar uma terceira opção. Entretanto uma opinião para ser produzida e exposta principalmente para um público, alguns fatores devem ser levados em consideração, como já disse ouvir os dois lados e ainda pesquisar fontes sobre o assunto, bem como fundamentar o que vai ser dito na opinião a ser emitida, é imprescindível e questão de caráter que o compromisso com a verdade esteja acima de ideologias, politicagem e amizades. É claro que não precisa ter a imparcialidade falsa de muitos jornalistas que se dizem imparciais, mas que são extremamente tendenciosos e só enganam os desavisados, cada um tem seus gostos e deve fazer suas escolhas, mas isso não quer dizer que deve defender o lado escolhido o colocando acima da verdade, isso não pode ser realizado. Se você ama algo e vê coisas erradas dentro disso a forma de melhorar não é ocultar os erros, mas expô-los. Grande parte dos nossos influenciadores hoje tem uma opinião irrelevante, porque escolheram defender um lado a manifestar uma opinião verdadeira, se dissessem a verdade além de ajudar a melhorar a sua realidade, ganhariam o respeito de quem pensa de forma diferente. Mas não preferem jogar os problemas para debaixo do tapete. Veja que aqui não me refiro somente a política, mas a instituições religiosas, filantrópicas, ONG’s, grupos de fãs de marcas, enfim qualquer lugar que exista com a finalidade de reunir pessoas para um mesmo ideal.

Não seja apenas um ouvinte que colhe as informações que te agradam, saiba do outro lado da história, você pode estar sendo enganado. Não seja apenas um formador de opinião de meia tigela, consuma a tigela toda, sempre conheça os dois lados, quem vai te ouvir merece isso. Se você ouve opiniões seja honesto com você e procure a verdade dos fatos, se você emite opiniões seja honesto com os outros e ofereça a verdade dos fatos.

Compartilhe com seus amigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error

Gostou do nosso blog? Compartilhe com seus amigos! :D