O Green Rio vem se firmando como evento internacional e a edição de 2017, com a participação de Alemanha, França, CEAL (Conselho Empresarial da América Latina) e do Banco Centroamericano de Integração Econômica é um indicador deste posicionamento.

Um total de 2873 pessoas e 74 expositores na feira estiveram presentes no Green Rio/Green Latin América 2017 na Marina da Glória, Rio de Janeiro. Visitantes e expositores de doze países, o dobro de nações em relação a 2016, representaram um aumento de cerca de 10% no número de presentes em comparação com a edição anterior.

Bioeconomia foi um tema transversal no Green Rio 2017, e Roberto Rodrigues, ex-ministro da Agricultura, Embaixador das Cooperativas na FAO e Coordenador do Centro de Agronegócios da Fundação Getúlio Vargas, fez a palestra de abertura do evento para um auditório lotado. Roberto Rodrigues falou sobre a posição privilegiada que o Brasil ocupa frente às possibilidades do novo mercado da Bioeconomia. “Sua potencialidade está relacionada à: produção agropecuária competitiva e sustentável, abundância de recursos naturais, biodiversidade, produção avançada de combustíveis renováveis e biotecnologia muito dinâmica, especialmente na área agropecuária.” Quanto ao papel das cooperativas na bioeconomia, Roberto Rodrigues, destacou que:

0 milhões de brasileiros com famílias estão diretamente vinculados a uma das 6,6 mil cooperativas brasileiras.

361 mil profissionais hoje trabalham em uma cooperativa.

50% da produção agropecuária brasileira passa de alguma maneira por uma cooperativa.

O cooperativismo é responsável por quase 11% do Produto Interno Bruto (PIB) agropecuário brasileiro.